Por Priscila Sampaio

Em 14 de January de 2020

Airfluencers e Nielsen falam sobre o poder da influência

Influência: os creators correspondem a uma das tendências de marketing de 2020: humanizar a comunicação. 

Cada vez mais as marcas buscam por se aproximar do seu consumidor, o colocando no centro da mensagem e potencializando a forma de se comunicar. 

De acordo com a pesquisa global Trust in Advertising, 84% dos entrevistados declaram que tomam decisão de compras, após opiniões de pessoas confiáveis e dentro desse roll de confiança estão os influenciadores digitais. 

O poder dos influenciadores digitais

Foi com esse tema que a Nielsen Brasil convidou o Rodrigo Soriano, CEO da Airfluencers para discutir, junto a Ana Paula Passarelli, Co-fundadora e CEO da Brunch. 

O que é influência?

Ana Paula comenta que um dos significados de influência é “força” que exercer em uma pessoa. “Crítico um pouco a existência do influenciador como adjetivo, isso é uma força que exerce sobre outro e é uma consequência de trabalho que você tem em sua comunicação”, fala a CEO da Brunch. 

E ela ainda lembra que não há nada de novo no quesito de influenciar, que há muito tempo existem em diversas formas as pessoas influenciarem as outras. De acordo com Ana Paula, o que há de novo é a ferramenta dentro de um escopo de trabalho

Essa visão é compartilhada pelo Rodrigo Soriano e faz uma comparação que o poder da influência na história pode ser observada nos Faraós, Governantes, que já tinham a influência como governabilidade na época. “O que aconteceu foi que a vinda das redes sociais, fez surgir o poder de comunicação das pessoas, que até então não tinham”, comenta Soriano que ainda afirma que os digital influencers não é moda, se não no futuro seria tirar as redes sociais e o poder de se comunicar das pessoas.

Democratização da influência

Rodrigo Soriano ressalta sobre a oportunidade de qualquer pessoa hoje se tornar influenciador de um nicho. É onde surgem os pequenos grupos de defesas de ideologias, temáticas específicas, e isso ganhou relevância a partir do momento que pessoas comuns entenderam que podem opinar, serem escutadas e compartilhados esses movimentos. 

Hoje o poder de comunicação não está centralizado nas mãos daqueles que detém a mídia, mas daqueles que têm conteúdo de qualidade.

Ouça o podcast

Acesse pelo link e escute na íntegra o podcast “O poder dos influenciadores”.

https://bit.ly/2t9JQNk

Conclusão

O marketing de influência é humanizar a comunicação entre marca e consumidor, é estreitar a relação, oferecer experiência em vez de uma propaganda para atingir todo e qualquer público, sem ter números de conversão satisfatórios. 

Airfluencers

Influência, dados e performance

influenciadores digitais