A Airfluencers preza pelo bem estar de seus cliente e funcionários!

Por conta do novo Coronavirus, a empresa toda fará home office de 16/03 a 20/03. Mas não é por isso que deixaremos de atendê-los da mesma forma de sempre!

Pedimos somente que, caso tenha alguma dúvida ou problema, nos contate pelo chat da plataforma (balãozinho rosa à direita da janela), site, e-mail, ou via direct de nossas redes.

Por Airfluencers

Em 27 de May de 2020

Normalmente, os chamados “fãs” estão associados a uma celebridade, porém as marcas que têm se destacado hoje em dia, são as que cultivam seus fãs da mesma forma que as celebridades e influenciadores fazem. 

Existem dois tipos de fã: Temos os fãs de uma marca específica, que é aquele que não se associa a nenhuma personalidade ou personagem, mas que admira a própria marca (Por exemplo, a Apple).

O segundo tipo, são os fãs de alguma personalidade, produção, bandas ou até mesmo de um game. Eles são os mais comuns. 

É muito difícil construir uma base de fãs sólida, por isso, uma estratégia muito utilizada pelas marcas hoje em dia é se associar a algo que carregue uma legião de fãs engajados. 

Claro que para isso, sua marca tem que compactuar com os valores daquela comunidade. Se você for, por exemplo, uma marca de biquínis, não adianta você se associar a uma banda de Rock. São dois mundos que não conversam naturalmente e não tem sintonia. 

Nessa matéria, vamos mostrar alguns exemplos de marcas que conseguiram trabalhar muito bem o poder da comunidade de fãs (ou os famosos Fandoms) e tiveram sucesso nas suas escolhas. 

Antes de mais nada, vamos entender a importância de uma comunidade de fãs:

Se você tem fãs, você tem pessoas que te admiram e compactuam com os seus valores. Além disso, os fãs têm uma força tremenda. Eles podem facilmente investir em produtos e serviços associados a pessoa que admiram, são capazes até de mudar uma produção e agitar o mundo da publicidade e internet num piscar de olhos.

Sim, sim, isso parece um pouco confuso de entender, mas vamos lá que eu vou te explicar com exemplos!

Quando anunciaram a produção do filme Sonic, ele se tornou um dos mais aguardados porque carregava uma legião de fãs do antigo game super entusiasmados. 

Pois bem, assim que lançaram o primeiro trailer, as pessoas perceberam que o visual do personagem estava bem diferente do jogo (e convenhamos que estava mesmo) e isso gerou uma grande revolta na internet, principalmente dos fãs extremamente decepcionados com aquilo. 

Foi aí que começaram os protestos e produção de memes desenfreada nas redes.

Como vocês podem imaginar, o diretor do filme acatou as reclamações e decidiu mudar o visual do personagem para que se parecesse mais com o do jogo. Ou seja, os fãs foram capazes de mudar uma produção completa apenas se manifestando na internet. O resultado foi que, Sonic se tornou o filme de videogame de maior sucesso de bilheteria da história. 

 

Outro exemplo clássico é a Marvel. Vocês conseguem imaginar quanto eles faturaram apenas com produtos licenciados de merchandising? De roupas, fragrâncias e até chave de hotel, eles faturaram simplesmente USD 8 bilhões. Além disso, muitas marcas se beneficiaram com isso, pois quando você compra de uma loja que tem artigos de um filme que você é fã, existe muito mais chances de você se tornar um cliente dessa loja por se associar a algo que você gosta.

 

Agora, um exemplo do que uma marca poderosa fez para conquistar uma base de fãs sólida sem apelar para o produto e sim para uma causa.  

A Hyundai se juntou a boy band Sul-Coreana mais famosa da atualidade em uma campanha sobre algo que eles têm em comum: A preocupação com Planeta e mudanças climáticas. 

Na campanha em homenagem ao Dia da Terra, cada membro da boy band BTS escolheu um lugar da natureza que eles desejam proteger para as gerações futuras e convidaram os internautas a participarem do movimento, usando a hashtag #DarkSelfieChallenge (oi, engajamento). 

Mas porque o BTS? 

BTS são membros da Unicef, já fizeram um famoso discurso na ONU e são engajados com causas ambientais, além disso, eles têm um dos fandoms mais fortes do mundo inteiro. As famosas ARMYS são muito fiéis aos membros da boyband, o que significa que elas também se engajam com causas que a banda apoia. 

O objetivo da Hyundai é alcançar possíveis fãs da marca e eles escolheram o BTS porque eles sabem que os fãs da boyband também são altamente receptivos à mensagem de proteger o planeta. 

 

Posicionados como embaixadores da marca, os influenciadores oferecem uma plataforma rápida e acessível para envolver diretamente seus fãs. Se sua marca oferece conteúdo genuinamente atraente, esse público cativo pode ser uma voz poderosa para sua marca.

Ok, mas onde entra o produto nisso?

O conteúdo da campanha da Hyundai é baseado na mensagem “Hidrogênio, a energia positiva para o futuro por sua causa” e promove o lançamento do primeiro carro movido a hidrogênio produzido em massa, o NEXO. O mais interessante é que no vídeo da campanha o carro não aparece em um só momento. 

O produto entra em segundo plano porque isso é uma parceria que reflete nos valores e não no produto. O mais importante em uma ação como essa, é você ter esses valores compartilhados e alinhados com o seu influenciador. Quando o público capta a mensagem e a importância dela, ele se torna um admirador da marca e começa a criar interesse genuíno pelo produto. 

Assim, mostramos a importância da curadoria na hora de escolha do influenciador. Não é só tamanho de base! Por exemplo, através da ferramenta da Airfluencers, utilizando os filtros de busca, você consegue identificar o influenciador que tem mais pontos em comum com a sua marca e que também gera resultados nas redes.

Outro ponto importante que deve ser observado pela marca é em qual plataforma está o seu público ou o público do influenciador que ela contratou. Busque por dados demográficos, de comportamento e em qual rede ele mais interage. Não adianta nada você se comunicar no Instagram se o seu público (ou potencial público-alvo) está no Twitter, por exemplo. 

Bom, agora que você entendeu a importância dos fãs, vale fazer um questionamento importante para a sua marca. Você acha que está construindo uma base de fãs sólida ou apenas compradores do seu produto?