Por Priscila Sampaio

Em 19 de November de 2019

Os microinfluenciadores são eficazes para startups?

Com a concorrência acirrada no mercado, as PMEs precisam de novos métodos de marketing, inovadores e de baixo custo para promover suas marcas e se destacar, além de conquistar novos consumidores. Nesse contexto, os microinfluenciadores são uma opção acessível para startups que precisam de tração e dinheiro.

E os resultados falam por si. De acordo com pesquisa realizada pelo ExpertVoice, 82% dos consumidores “altamente propensos” a seguir as recomendações feitas por microinfluenciadores. Além disso, esses influenciadores têm 22,2 vezes mais “conversas de compra” do que a média dos consumidores. É por isso que vou revelar mais sobre a eficácia dos microinfluenciadores pertencentes às marcas de inicialização.

A ascensão dos microinfluenciadores 

Inúmeras marcas e indivíduos disputam atenção on-line. As plataformas de mídia social fornecem terreno fértil para conversas fáceis, rápidas e contínuas para vozes díspares em todos os lugares. Algumas das vozes mais autorizadas acabam se tornando o que é conhecido como marketing de influência. 

Alguns desses influenciadores são ótimos na construção de grandes comunidades, enquanto outros são melhores em promover seguidores menores. Até recentemente, muitos profissionais de marketing focavam naqueles com maior número de seguidores devido ao seu maior alcance.

Contudo, os objetivos e resultados, fizeram que os profissionais de marketing estão demonstrando maior interesse naqueles com menor número de seguidores. Eles percebem que esses influenciadores comandam níveis mais altos de confiança dentro de suas comunidades unidas e de seguidores. E essa é uma razão importante pela qual o marketing de microinfluenciadores é uma tendência. 

Microinfluenciadores x Celebridades

Para exemplificar melhor o poder do microinfluenciador em conversão, usamos um simples caso, em que uma rede de academia de alto padrão contrata a Ana Hickmann, apresentadora, que tem poder aquisitivo para frequentar esse tipo de academia e faz o publi post. 

Porém, a apresentadora tem 9,7 milhões de seguidores no Instagram, desses, quantos realmente podem fazer a matrícula e frequentar o local?

Sem citar o quanto seria cobrado para fazer essa publicação. 

Agora, quando falamos de microinfluenciadores, com base de seguidores menor, porém próximos à sua realidade, especialista no assunto que aborda, é mais propenso alcançar um público que irá atingir o objetivo. 

Públicos menores, mas mais envolvidos com os microinfluenciadores

As pessoas adoram seguir seus artistas, bandas e celebridades favoritas em plataformas como Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. Portanto, os profissionais de marketing têm sido rápidos em capitalizar os seguidores maciços desses influenciadores populares. Eles logo descobriram que a popularidade não é tudo o que se pensa, pois isso raramente resulta em seguidores engajados. É por isso que muitos profissionais de marketing começaram a se concentrar nos microinfluenciadores recentemente.

Esses influenciadores menores têm entre 10.000 a 100 mil seguidores, muito menos que os influenciadores macro com seus acima de 500 mil seguidores, e os mega influenciadores e celebridades com seus mais de 1 milhão de seguidores. 

No entanto, seguidores de influenciadores menores são mais engajados e leais devido ao diálogo bidirecional mais forte entre influenciador e seguidor. Isso os torna ideais para a execução de campanhas de marketing direcionadas a públicos de nicho que preferem vozes autênticas e confiáveis.

Um estudo realizado pelo Ibope aponta que entre as razões dos internautas seguirem os influenciadores digitais estão:

74% conteúdo com informações relevantes

53% ideias e pensamentos parecidos

29% interagir com seguidores

28% Compartilhar suas ideias sem impor como verdade e ser engraçado

20% Variedade de assuntos

18% ser uma pessoa séria

17% temas cotidianos 

10% sorteios e entregas de brindes

Eles são econômicos

Compreensivelmente, a maioria das marcas de startups raramente tem os recursos para grandes investimentos de marketing. Eles não podem se relacionar com um macro ou mega influenciador para promover suas marcas. Além disso, já determinamos que os microinfluenciadores têm o relacionamento mais autêntico com seus seguidores. Eles têm mais poder de venda devido a seus seguidores comprometidos e não prejudica o fato de cobrarem aproximadamente US $ 250 por postagem patrocinada.

Os “tiros de canhões” que empresas grandes conseguem pagar, é aquele quando o objetivo da marca é propagar para o maior número de pessoas a mensagem da marca.

Como encontrar o microinfluenciador certo para sua marca

As empresas que estão iniciando, geralmente se especializam em um produto ou serviço específico. Isso os torna adequados para microinfluenciadores que selecionam cuidadosamente seu conteúdo para nichos específicos. 

Com isso, é preciso reconhecer qual dos microinfluenciadores podem se conectar com a marca, que apresentam comportamento e assuntos que apresentam sinergia com a campanha. 

Como você encontra esses perfis então? Esta parte não é muito difícil. Blogs e plataformas de mídia social abrigam muitos influenciadores que devem ser relevantes para sua marca. 

A Airfluencers, por exemplo, tem a plataforma que metrifica todo o comportamento dos influenciadores digitais, dos últimos 90 dias. Logo, por meio de filtros, tanto de categorias de assuntos, quanto de tamanho de base de seguidores, é possível reconhecer o melhor perfil para a campanha. 

Planejando uma campanha eficaz

Antes de iniciar sua campanha de marketing de influência, é vital planejar com antecedência e definir metas claras. 

Decida como seus microinfluenciadores promoverão melhor sua marca para seus seguidores. Eles podem mencionar sua marca, compartilhar códigos de desconto, trabalhar em conteúdo co-criado e promover experiências, como criar um produto junto, ir em algum local de desejo, etc. 

E por fim, e não menos importante, é preciso avaliar como sua campanha afetou os negócios, seja em crescimento de vendas, ou aumento de fãs nas redes sociais e awarennes

Conclusão

Os microinfluenciadores estão mudando o cenário do marketing, promovendo marcas, seus produtos e serviços para nichos de audiência. 

É importante reconhecer qual público será seu alvo, e buscar por perfis de influenciadores digitais que conversem com esse nicho e façam um trabalho sério com marketing de influência. 

A escolha errada de um perfil condena toda a campanha de marketing de influência. O perfil desconectado da marca vai desde abordar assuntos irrelevantes ou aqueles que possuem comportamento e valores diferentes da empresa.

É inadmissível ter como representante da marca uma pessoa homofóbica, que faz discursos que infringem os direitos humanos, ou àqueles que até mesmo por piada, fazem apologia ao crime. 

O influenciador digital, seja micro ou macro, está falando por sua empresa. Por isso, é necessário curadoria para montar seu time de creators. 

Conte conosco. 

Texto, traduzido, originalmente publicado em: Medium Marketing 

influenciadores digitais